domingo, abril 24, 2005

Momento cultural de poesia

"Taveirada"


A menina calmeirona
acordou toda menstruada,
e já farta de levar na cona
experimenta uma Taveirada...

Ele a agarra por trás
naquele corpo todo nú,
pega no caralho e zás;
meteu-lho todo no cú...

Um fotógrafo escondido
trabalhando na maquineta
acaba todo encolhido
por bater uma punheta...

Ao fim do filme acabado
corre ao jornal publicar...
Mas acaba por ser entalado
por o Taveira não gostar...

Porque o senhor arquitecto
de pomposo nome Taveira...
Tem o gosto predilecto
de comer a tripa cagueira...

Mas não gosta de ver
seus apetites virem a nú...
para não ter à porta
bichas p'ra levar no cú...

Se anseia experimentar
corra a sua morada,
para na fila esperar
a sua vez na Taveirada...

E se por qualquer acidente
ele lhe der cabo do olho...
Há baldes de àgua quente
para por o cú de molho...

E tu rapariga que fodes
com a cona toda estragada,
vira o cú ao teu macho
e goza uma Taveirada...

Aquela posição melhor
p'ra levar na tripa cagueira,
é encostá-la à secretária
como faz o Taveira...

Para mais conselhos dar
já não tenho intelecto...
Quem quiser ensaiar
vá ter com o arquitecto...




(peço desculpa)

1 Comment:

Anonymous não é o luis said...

n percebo pk o homem do saco pede desculpa. eu gostei. tem 1 linguagem erudita e cuidada pois isto e feito por pessoas educadas.e quando se lida com pessoas educadas é outra coisa...

sábado, abril 23, 2005 10:10:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

Este rodapé serve apenas para te informar que chegaste ao fim da página. Tens 3 opções: a)voltar ao ínicio; b) navegar para outra página; d) o suicídio. Volta sempre! =)